Guavira - Uma lendária fruta afrodisíaca do Mato Grosso do Sul e do Cerrado brasileiro

A gabiroba, guabiroba ou guavira é o fruto produzido pela gabirobeira, um arbusto silvestre que cresce nos campos e pastagens do cerrado brasileiro.
É um fruto arredondado, de coloração verde-amarelada, com polpa esverdeada e suculenta. É muito parecido com uma goiabinha. Ela pode ser consumida ao natural ou na forma de sucos, doces, geléias sorvetes e na cachaça artesanal. Clique nas fotos abaixo para ampliá-las e ver a matérias na íntegra.

Guavira da Região de Bonito-MS
[+][+][+][+][+]
A guavira é um arbusto silvestre da família das Mirtáceas (a mesma da goiaba, da jaboticaba e da pitanga), gênero botânico Campomanesia, que cresce nos campos e pastagens. Por fora ela lembra uma goiabinha, mas o sabor é totalmente diferente de qualquer outro fruto. Existem muitas espécies de plantas diferentes que recebem o nome de guavira, algumas atingindo o porte de árvores. Em Mato Grosso do Sul temos as espécies Campomanesia adamantinum e Campomanesia pubescens.

Quem vem para a região na época certa (geralmente entre novembro e dezembro) não pode ir embora sem prová-los - seja in natura, em sorvetes ou na cachaça.

ORIGEM
Nativa do Brasil, especialmente do Cerrado das regiões Sudeste e Centro-Oeste. Disseminou-se para outros países da América do Sul, sendo bastante encontrada na Argentina, no Uruguai e no Paraguai. A palavra "guabiroba", como a planta é conhecida nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, vem dos termos tupi-guarani "wa'bi" + "rob", que significam "árvore de casca amarga". Por sua copa vistosa, é comumente usada em projetos de paisagismo como árvore ornamental.

Outros Nomes Populares: gabiroba, gabirobeira, gabirova, gavirova, goiaba-da-serra, guabiroba-da-mata, guabirobeira, guabirova, guariroba, guarirova, guavira, guaviroba e guavirova.

PROPRIEDADES E UTILIZAÇÃO
Composição Química: proteínas, carboidratos, niacina, sais minerais (ferro, fósforo, cálcio), vitaminas do complexo B.
Partes Usadas: Frutos, folhas e brotos.
Propriedades Medicinais: adstringente e antidiarréica. A infusão das folhas é relaxante, serve para aliviar as dores musculares através de banhos de imersão.
Usos na culinária: os frutos são consumidos in natura e usados no preparo de geléias, sucos, doces, sorvetes, pudins, licores, batidas ou curtidos na cachaça.

CULTIVO E CONSERVAÇÃO
Cresce em clima tropical quente, com baixo índice pluviométrico. A exposição solar para o cultivo deve ser plena. A propagação se dá através de sementes, que perdem rapidamente o poder germinativo, por isso devem ser semeadas logo após a sua extração dos frutos. Pode ser cultivada em canteiros. Não é exigente quanto ao solo, crescendo inclusive em terrenos pobres. No entanto, quando é cultivada apresenta maior preferência pelos solos do tipo podzólico vermelho-amarelo. A necessidade de água é moderada. Os frutos podem ser conservados em sacos plásticos na geladeira ou freezer.

Porém, segundo a Lista da Flora Ameaçada de Extinção com ocorrência no Brasil, da União Mundial para a Conservação da Natureza (IUCN), algumas espécies de guavira podem desaparecer se não forem adotadas medidas urgentes de manejo. É importante ressaltar que a utilização desta planta nos moldes tradicionais não pode ser considerada como atividade sustentável. Afinal, os frutos são colhidos em grandes quantidades e não há preocupação em replantar as sementes, além do volume consumido pelo gado e da limpeza de campos (ambiente preferencial da guavira) para implantação de pastagens não-nativas. Conseqüentemente, há risco de que em médio prazo os estoques naturais deste fruto se esgotem, caso não sejam desenvolvidos trabalhos de conscientização e replantio de mudas.

CURIOSIDADES
Diz-se que "em época de guavira dá muita cobra". Provavelmente isto ocorre pelo fato de diversas espécies de aves procurarem os frutos, atraindo assim as cobras que se alimentam de pássaros. Outra lenda - não confirmada - seria que isto serve como um argumento para evitar que as mulheres cultivem o hábito de sair ao mato para colher os frutos, pois "mulher é que vai pro Cerrado catar guavira..."

A guavira pode ser também considerada afrodisíaca. Não, não se trata de mais uma daquelas invenções para vender produtos... Neste caso, é porque o povo diz que quando os casais combinam de "ir pro mato catar guavira", nove meses depois os índices de natalidade aumentam um pouquinho...

A época da guavira (principalmente em novembro) é tempo de ver as pessoas no campo com uma sacolinha na mão, colhendo guavira para comer ou vender "por litro" na cidade.
Para quem vem de outras partes do Brasil, este fruto pode trazer recordações da infância. Um exemplo é o relato de um guia de turismo local que, acompanhando alguns turistas, pararam na beira da estrada para colher umas guaviras. Uma senhora do grupo chupou um fruto e pôs-se a chorar, devido às saudosas lembranças de sua juventude trazidas pelo sabor.

VALORIZAÇÃO DA CULTURA
A comunidade de Bonito-MS promove todo ano, no mês de novembro, o Festival da Guavira. A Guavira é um fruto típico da região e faz parte da cultura local. A escolha da fruta como nome do Festival surgiu da necessidade de conservação dos recursos naturais. Nativa do Cerrado, a Guavira vem sendo aos poucos substituída por áreas de pastagem para a criação do gado.
O evento é organizado por representantes do comércio local e do Sindicato Rural, em parceria com a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, com o apoio da Ambiental Expedições. Os quatro dias de festival serão marcados por apresentações musicais, dança, teatro, palestras que abordam temas como: conservação de recursos naturais e inclusão social em localidades turísticas, venda de artesanato, exposição de artes plásticas e uma praça de alimentação, com comidas típicas e os mais diversos produtos derivados da guavira. Além disso, serão promovidos cursos de culinária que ensinam a fazer pratos e doces com a fruta.

As crianças participam ativamente do evento, através das escolas que, todo ano antes do Festival, promovem um concurso de redação cujo tema é claro, é a Guavira. Foi criado também um concurso para eleger o melhor "Guaviral" da Região.
Os proprietários rurais e a população local estão aderindo cada vez mais ao cultivo da fruta por conta desse incentivo, tornando esse plantio uma fonte de renda para muitas famílias. O número de plantações desde o surgimento do Festival para cá, aumentou significamente.
Esse é o primeiro festival do gênero efetivamente local, feito para valorizar e resgatar a cultura e a história.
Para quem vai para a região nessa época, esse Festival é uma ótima opção de lazer!
Sites pesquisados:
http://photoinnatura.blogspot.com/2007/11/saudades-da-guavira.html
http://ambiental.netguestdns.com.br/site/frontend/conteudo.asp?cos_id=9
http://www.fotograma.com.br/textos/2005/05/guavira_-_tradi.htm
« voltar